Nossas Redes Sociais

Publicidade

Jennifer Lopez Brasil
Cory Rooney revela curiosidades de trabalho com J-Lo
10 meses atrás | Por WELLYVER
Destaque Entrevista On The 6 Revista

Se você algum dia já dançou ao som de alguma canção de Jennifer Lopez, saiba que possivelmente ela tem um toque do produtor Cory Rooney. O produtor falou em entrevista exclusiva à revista LATINA, sobre a experiência de trabalhar com JLo e as curiosidades por trás de sucessos como “If  You Had My Love” e “Waiting For Tonight”. Nós traduzimos todos os trechos da entrevista em que ele menciona a Jennifer e tem curiosidades sensacionais! Confira!

LATINA – Como você começou a trabalhar com Jennifer Lopez?

CORY ROONEY: Tommy Mottola estava na época na Sony e estava tentando fazê-la assinar um contrato com a gravadora. Tommy realizou uma reunião em seu escritório em Nova Iorque com todos os grandes produtores e compositores que você possa pensar. Isso era para o seu primeiro álbum. Foi também a primeira vez que eu e Tommy a encontramos. Ele tinha Diane Warren, Emilio Estefan, Babyface e muitos outros. Ele meio que estava nos dando 15 minutos pra todo mundo conversar com ela e convencê-la. Ele dizia: ” Se você assinar com a Sony, eu vou conseguir pra você todos os melhores compositores e produtores da indústria para trabalhar com você.”. Eu fui o último a chegar  e estava esperando na sala de espera do Tommy enquanto outro alguém estava se encontrando com ela quando voltaram, e eu estava sentado ao piano tocando uma canção. Ela sai da sala com o Tommy depois de ouvir a canção e diz: “Meu Deus! Que canção é essa? Quem está cantando? É tão linda!”, então Tommy disse: “Este é o Cory, um dos nossos grandes compositores e produtores. Ele compôs essa canção e se você quiser, você pode tê-la”. Então, esse foi na verdade o inicio da nossa relação. A canção que eu estava cantando “Talk About Us” acabou entrando no seu álbum de estréia e foi a primeira canção que gravamos em estúdio. Após a noite que trabalhamos na canção, ela decidiu que ela não queria trabalhar com mais ninguém a não ser que trabalhassem através de mim pois eu acho que eu ofereci um certo nível de conforto. Eu sabia desde o começo que ela venderia qualquer coisa. Ela era maior que a vida. Ela era capaz de entrar numa sala e comandá-la. Ela dominava. Eu trabalhei com outros artistas no passado e isso é algo que você não consegue ensiná-los. A cada dia que ela chegava no estúdio, o estúdio era dominado por ela. Eu sabia que ela era uma superstar que ia muito além da interpretação.



LATINA – Como foi trabalhar com ela no seu álbum de estreia, o “On The 6?”

CORY ROONEY: Deixe-me contar uma história sobre o primeiro single, “If You Had My Love”; nós já estávamos concluindo o álbum e eu prometi a Rodney Jerkins, quem produziu a faixa, arrumar um encontro para tocar algumas canções para Michael Jackson. “If You Had My Love” foi uma das faixas que ele tinha em sua playlist para apresentar à Michael. Eu dizia pra mim mesmo – “Caramba, essa faixa é tão perfeita pra Jennifer. Eu queria muito manter minha promessa para Michael e Rodney mas eu espero que ele não queira essa música.” Eu me lembro que a faixa foi a oitava canção no CD que foi tocada pra Michael. O arranjo da música começa e Michael começa imediatamente a dançar e a dizer – “Cara, eu gosto dessa”. Meu coração ficou apertado na hora. Até que ele diz – “Eu gosto, mas não pra mim, mas isso vai ser um hit para outra pessoa”. Eu ri muito na hora. No mesmo dia eu e LaShawn Daniels escrevemos a letra da música. Jennifer ajudou na composição também. Gravamos a música e ela se tornou o primeiro single, sendo a canção que precisávamos para vender encabeçar o disco.

LATINA – E outras canções de sucesso no álbum como “Waiting For Tonight”?

CORY ROONEY: A faixa foi apresentada por um produtor chamado Rick Wake. Eu amei a canção. Jennifer Lopez odiou o formato demo original. Eu implorei pra Rick e disse, “Olha, por favor, nós precisávamos retrabalhar essa música. A gente precisa trabalhar nela e reproduzi-la.” Rick disse – “Cory, você sabe quanto dinheiro isso vai nos custar? Custou 50 mil dólares para produzir a faixa e se ela não gostar, vamos ter perdido 50 mil.” Eu disse – “Eu pago então pelos 50 mil. Eu acredito nessa faixa e tenho certeza que vai ser um hit pra ela.” Depois de tudo isso, ela amou! A única coisa ruim foi que ela queria gravar na mesma noite em que o Chicago Bulls estava tocando na final da NBA. Eu perguntei se tínhamos mesmo que gravar naquela noite, pois ela no início odiava a canção, ela dizia coisas como – “Eu nunca mais quero ouvir essa música. É tão horrível e ridícula”, pra no final dizer “Meu Deus, podemos gravar essa música agora? Vamos logo pro estúdio.”

Demo de Waiting For Tonight gravado em 1997 pelo grupo “3rd Party”


LATINA – E claro, uma de suas melhores canções é “Jenny From The Block”, tem alguma informação sobre este clássico?

CORY ROONEY: Troy Oliver, que é um dos compositores e produziu comigo estava trabalhando em algumas pequenas ideias quando eu cheguei no estúdio e ouvi o início de “JFTB”. Eu perguntei o que era e ele disse que não era nada especial, que iria apagar e começar algo novo. Eu tive que pular na sala e impedir que ele apagasse. Eu amei e toquei pra minha filha de 6 anos e idade e a pedi pra escolher as canções que ela queria pra Jennifer. Ela escolheu “Jenny From the Block” e “I’m Real”. No começo a faixa era chamada de “Jenny From The Bronx”, mas eu senti que o título era meio estranho, então alterei a letra para “Jenny From The Block”, alterando algumas outras coisas para fazer a canção representá-la melhor. Ela amou no instante em que ouviu.


O grupo The Beatnuts usou a batida da faixa “Hi-Jack” do Enoch Light em 1999. O grupo achava que tinha direito sobre a faixa pois eles que popularizaram a batida usada em JFTB.

LATINA – Como um fã hardcore de Hip Hop, eu me lembro de ter achado que vocês tinham roubado a batida de ‘Watch Out Now!’ dos Beatnuts, claro que esse não foi o caso, certo?

CORY ROONEY: Eu amava os Beatnuts, mas sabe o que aconteceu, eles chegaram até mim por intermédio de Theo Sedlmayr, que era o mesmo empresário de 50 Cent, que é meu amigo. Eles chegaram no Theo e disseram “A gente precisa se encontrar com esse cara chamado Cory Rooney e lançar essa música”. Quando eles me ligaram eu achei até que era uma piada. Eles ligaram no viva-voz com o Theo que disse, “Escuta só, eu estou aqui com os Beatnuts e estão pedindo seu auxílio para lançar essa faixa (Eles já tinham ouvido a demo de Jenny From The Block). Eu parei pra pensar e tentar entender por um minuto, mas eles não escreveram a canção que foi na verdade baseada num sample de “Hi-Jack” de Enoch Light, que era a versão original. Eu falei ao telefone – “Vocês, pra começo de conversa nem escreveram essa canção. Pra que vocês estão pedindo minha ajuda?”. Eles disseram – “Bom, se não fosse pela gente, você nunca teria pensado em usar essa base. Nós fizemos essa batida popular.” Eu falei – “Bom, pelo que eu sei não é assim que o negócio funciona, então o que vocês querem de mim?”. Eu acho que eles pensaram que eu era algum tipo de novato bobão. Eu encerrei a ligação dizendo “Escuta só parceiro, tenha um bom dia”. Eu nem sei como te falar mas as coisas ficaram pesadas ao telefone, eles queriam até vir no estúdio e me bater, eu até falei que estava no estúdio a noite toda e que podíamos resolver aquilo. 50 Cent acabou se envolvendo nessa treta, ele ligou pro Theo e o fez me ligar pedindo desculpas.

LATINA – Jennifer por acaso soube do que aconteceu?

CORY ROONEY: Eu nunca contei a Jennifer sobre a história. Eu tentei fazer do ambiente um ambiente tão lindo quanto o ambiente que ela fazia surgir quando ela aparecia. Era sempre muito legal e calmo – claro que teve um incidente ou outro, como por exemplo quando 50 Cent estava comigo e ele deu um soco num cara bem na frente dela, mas isso foi outra história. Com “JFTB”, eu tive auxílio dos meus amigos do Track Masters, eles que criaram a intro da música. A gente sentia que precisava de uma introdução pra música e decidimos adicionar o rap do “The Lox”. Eles vieram e ficaram felizes por estarem no projeto. Mas Jennifer e eu queríamos uma canção originalmente chamada de “Glad” como primeiro single. Então, Tommy Mottola chegou no estúdio e ouviu o que tínhamos gravado. Quando tocamos “Jenny From The Block”, ele disse – “Esse é o nosso single.”, na mesma hora eu e Jennifer dissemos que não era essa faixa a melhor pra primeiro single e ele nos disse: -“Vocês são loucos? Este é o primeiro single e ponto final, eu não me importo com o que vocês falarem, vocês vão destruir o álbum se não me escutarem.” No dia seguinte Tommy pegou a faixa a vazou propositalmente e no outro dia o mundo todo estava ouvindo a faixa.

LATINA – O clipe foi lançado no pico do relacionamento de Jennifer com Ben Affleck…

CORY ROONEY: Jennifer não lançou a música como ela normalmente faz em termos de clipe ou dança pois ela estava muito relutante. Ela não achava que aquela canção era a melhor opção para primeiro single e eu também não achava. E “Bennifer” causava um frenesi tão grande que foi por isso que o vídeo foi feito daquela maneira.

LATINA – O quanto orgulhoso você está de Jennifer Lopez?

CORY ROONEY: Eu tenho muito orgulho da residência de Jennifer em Vegas. Quando eu fui ver o show na noite de abertura eu estava tão animado pois aquilo representava 15, 16 anos de trabalho árduo que culminava naquele momento em que a via em Vegas. Todo mundo sonha em estar em Vegas, e aqui estamos nós! E eu estou muito feliz por isso.

 

 

 

Comentários